TEXTOS, RESUMOS E DOCUMENTOS DA HISTÓRIA DO BRASIL


Bandeiras de caça ao índio

História, resumo, objetivos, como atuaram, bibliografia, ciclo de caça ao índios, contexto histórico, características, como e porque terminou

Índios capturados por bandeirantes: obra de Debret
Índios capturados por bandeirantes: obra de Debret

 

Introdução (contexto histórico e o que foram)

 

O ciclo de caça ao índio teve início no século XVII. Neste período, os holandeses dominaram vários pontos africanos em que os portugueses obtinham escravos. Com pouca quantidade de escravos para atender as necessidades dos fazendeiros e senhores de engenho brasileiros, ocorreu uma procura maior por mão-de-obra escrava indígena. Foi então que muitos bandeirantes, principalmente paulistas, aproveitaram a situação para entrar neste “negócio”.

 

As bandeiras de caça ao índio foram expedições (bandeiras) organizadas por paulistas (bandeirantes), que tinham como objetivo capturar e aprisionar indígenas. Estes eram vendidos para servirem de mão-de-obra, principalmente na agricultura.

 

Características principais:

 

- A maioria das bandeiras de caça ao índio foi em direção ao sul do Brasil, pois nesta área havia maior concentração de aldeamentos indígenas controlados pelos jesuítas.

 

- A preferência pelos indígenas dos aldeamentos do sul também tinha outra justificativa. Os índios destes aldeamentos já estavam acostumados com o trabalho agrícola, em função dos ensinamentos dados pelos jesuítas. Estes indígenas trabalhavam no plantio e colheita destes aldeamentos. Como conheciam o trabalho, era uma mão-de-obra que os bandeirantes conseguiam obter maior valor de venda.

 

- A maior parte dos indígenas capturados por estas bandeiras foram vendidos para fazendeiros de São Paulo. Mas a Capitania do Rio de Janeiro e os senhores de engenho do Nordeste também compraram esta mão-de-obra, embora em menor quantidade.

 

O fim do ciclo de caça ao índio (principais causas)

 

Vários motivos contribuíram para o enfraquecimento das bandeiras de caça ao índio e suas atividades comerciais. Entre estes motivos podemos citar:

 

- Oposição dos jesuítas à caça, aprisionamento e comercialização de indígenas.

 

- Aumento da oferta de mão-de-obra escrava africana, a partir da metade do século XVIII. Isto ocorreu quando os portugueses expulsaram os holandeses do nordeste brasileiro e de pontos de tráfico negreiro na costa africana. Os portugueses conseguiram retomar a todo vapor o tráfico negreiro africano.

 

- Os bandeirantes paulistas haviam, num curto espaço de tempo, destruído muitas missões e aldeias indígenas no sul. Com isso, era necessário ir cada vez mais longe para encontrar novas aldeias indígenas. Esta dificuldade acabou desestimulando muitas bandeiras.

 

- Com a descoberta de minas de ouro na primeira metade do século XVII, muitos bandeirantes passaram a se dedicar a exploração das minas. Deixaram a atividade de caça aos índios e passaram para esta atividade, que era mais lucrativa e não sofria a oposição dos religiosos católicos.


 

Bibliografia indicada:

 

Bandeirantismo - verso e reverso (coleção Tudo é História)

Autor: Davidoff, Carlos Henrique

Editora: Brasiliense

Ano de publicação: 1994

Temas do livro: Bandeiras, Bandeirantes, Ciclo de caça ao índio, História do Brasil Colonial

Impressão Google+


Os textos deste site não podem ser reproduzidos sem autorização de seu autor. Só é permitida a reprodução para fins de trabalhos escolares.
Copyright © 2005 - 2017 História do Brasil.Net Todos os direitos reservados.